CONTEÚDO KAZ

Como a síndrome do impostor atrapalha o seu dia a dia

"Será que eu sou uma fraude?"

"Eu tive sorte."

"Ahh não foi nada."


Se você já disse essas frases ou já ouviu alguém dizer isso quando foi elogiado em alguma tarefa, provavelmente, estamos diante de alguém que sofre da síndrome do impostor.


Mas afinal do que se trata esse transtorno?


Podemos dizer que a pessoa não se sente boa o suficiente, tem ansiedade, insegurança e dúvidas sobre suas próprias realizações.


Trabalha muito para justificar suas conquistas.

Precisa agradar a todos para alcançar aprovação e justificar mentalmente suas conquistas.


Acha que nunca é boa o suficiente em relação aos outros, tem o perfeccionismo exagerado.


Tem medo de se expor por achar que é uma fraude e que pode ser desmascarada a qualquer momento.


Acredita que suas conquistas acontecem por sorte ou qualquer outro fator.

Nesse cenário muitas vezes a pessoa começa a se autossabotar.


Acredita que se alcançar o sucesso será desmascarada sobre sua “falta” de habilidade e para não ter que passar por isso toma atitudes para evitar se destacar ou fazer algo que possa chamar a atenção.

De acordo com estudos da Universidade Dominicana da Califórnia 70% das pessoas consideradas “bem-sucedidas” apresentam sintomas ligados a síndrome do impostor.

Personalidades mundialmente conhecidas com o Tom Hanks, Emma Watson, Michelle Obama admitiram que já sofreram com esse transtorno.


Normalmente afeta mais as mulheres.


Pessoas com esse tipo de transtorno não se sentem desafiadas no trabalho, mas não buscam outras atividades pois tem medo de fracassarem é o ciclo da infelicidade.


A síndrome do impostor normalmente é transitória, é mais comum aparecer em profissionais com atividades que exigem alto desempenho como atletas, cargos de liderança, pessoas que acabaram de ser promovidas, áreas de vendas e empreendedores.


Para quem está começando um novo negócio a síndrome do impostor é desastrosa pois a autossabotagem pode adiar e até mesmo impedir o sucesso do empreendedor fazendo com que ele desista de empreender.


Se você se identificou com alguma dessas características, não se desespere.

É possível tratar esse transtorno e ter mais qualidade de vida.


  1. Terapia pode ajudar a descobrir e internalizar as crenças que causaram o problema, melhorando a percepção e autoestima, diminuindo a sensação de ser uma fraude;

  2. Ter uma pessoa para compartilhar as inquietações, angústias, pedir opiniões e conselhos;

  3. Aceitar os erros e aprender com eles;

  4. Saber respeitar seus limites;

  5. Não ficar se comparando com outros, reconhecer os próprios defeitos e qualidades;

  6. Buscar trabalhar com o que gosta gera mais interesse e motivação;

  7. Fazer atividades físicas e ter momentos de lazer ajudam no tratamento.

Não deixe a síndrome do impostor atrapalhar o seu dia a dia pois ela afeta não só a vida profissional como a pessoal, pois a pessoa se autossabota nos relacionamentos e às vezes prefere até se isolar para evitar o frustrações.

Gostou do desse assunto?


Deixe sua opinião.

TRANSFORME-SE COM O KAZ